segunda-feira, 28 de março de 2011

Inclusão Digital – Vivências Brasileiras, de Maurício Falavigna




No início do século XXI, a sociedade brasileira intensificou o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Como tantos outros fenômenos em nosso País, isso ocorreu de forma profundamente desigual. De maneira geral, ficou cada vez mais claro que o acesso às TIC influenciam intensamente ao acessoa poder, à riqueza e a oportunidades. Desta forma, a exclusão digital impõe-se como fator de agravamento da própria exclusão social.

Portanto, a luta pela inclusão digital impõe-se, acima de tudo, como condição para uma sociedade mais justa e igualitária. Iniciativas e processos que possibilitem a obtenção dos conhecimentos e vivências necessárias para utilizar as linguagens e os recursos de TIC são cruciais para que os cidadãos possam, efetivamente, participar, em igualdade de condições, da Sociedade da Informação.

A inclusão digital assume hoje papel central para o desenvolvimento das nações ao alavancar o conjunto da sociedade para um patamar onde o acesso, a produção, a divulgação, a organização e o processamento de informação e conhecimento se tornam ágeis, corriqueiros e abrangentes. Este processo, que se acelerou no Brasil na última década, impacta fortemente na participação do País no contexto mundial, influenciando o desenvolvimento social, econômico, político, ambiental, científico e tecnológico bem como a própria consolidação da cultura brasileira no mundo moderno.

Um aspecto disso tudo, que toca de maneira especial esta Empresa, é o potencial de ampliação do alcance das políticas sociais que advém com a inclusão digital. Afinal, a Dataprev é responsável por processar informações que permitem a mais de 27 milhões de pessoas receber benefícios previdenciários e a acessar outros serviços desta modalidade, de forma ágil e precisa. Desta forma, é natural a Dataprev ter como foco de suas ações de responsabilidade social o apoio à inclusão digital.

Ao longo de dez anos, educadores, ativistas, agentes comunitários, gestores públicos, profissionais de tecnologia e tantos outros alteraram a realidade da inclusão digital no Brasil, com a montagem de telecentros comunitários. Esta efervescente comunidade está criando o que promete ser uma das mais importantes políticas públicas a partir de soluções e experiências intensamente brasileiras.

 Patrocinar um livro cujo objetivo é contar esta história e relatar as melhores práticas nesse campo é mais do que uma obrigação: é, também, uma satisfação.

Boa leitura!
Rodrigo Assumpção
Presidente da Dataprev




A obra, enquadrada na Lei de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, teve o patrocínio do Dataprev – Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social e foi executada pelo
IPSO – Instituto de Pesquisas e Projetos Sociais e Tecnológicos.

Acesse, baixe e indique para sua rede de contatos.
Viva o conhecimento livre!
Boa leitura.
Equipe IPSO

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More