segunda-feira, 25 de abril de 2011

semana maluca: Debian e Ubuntu 11.04 ao mesmo tempo

Galera passei a semana passada inteira usando o Debian e o ubuntu 11.04

Sabem o que achei?

o Unity aberto
Vou falar primeiro do Ubuntu 11.04, pode ser que ao longo dessa semana a coisa mude um pouco, mas tirando o fato do unity não funcionar bem na minha placa de vídeo e até ter sumido com todo o painel depois que instalei o drive de vídeo, não vi nada demais nele, nem gostei muito daquele arremedo de dock engessado, que é a nova menina dos olhos da Canonical, podia ser melhor não é? Legal a barra agora ser unica, mas eu tinha vários lançadores nela, enfim vou precisar usar ícones na tela, coisa que não faço há um bom tempo. Enfim o Banshee é um ótimo gerenciador de biblioteca, sim mas eu que só usava o Rhythmbox pra editar algumas tag's das músicas, não tou nem ai pra ele, na minha opinião um player de música deve ser discreto e não ocupar toda a sua área de trabalho, pra ouvir minhas músicas prefiro: o Qmmp e o Audacious, assim como assisto meus vídeos no VLC e no Smplayer, mas como tem gente que gosta de gerenciadores eu até acho que ele deve ser bom, pena que não cheguei a abrir, foi a primeira coisa que desinstalei, como eu já o havia instalado aqui por conta da polêmica do plugin de compra online da Amazon e o destino da verba que era doada para o projeto gnome, não precisei abri-lo de novo, enfim muitas mudanças e poucas necessárias, vamos esperar o dia 28 baixar a iso final e navegar um pouco mais nele pra ver como vai ficar essa coisa do unity vs nvidia (em tempo eu só costumo usar as versões final 10, até lá unity só no live cd ou em um hd de testes que tenho aqui.

Debian

Gente, como o Debian é feio! A frase é de um amigo do trabalho, mas a verdade é que o gnome só é bonito mesmo no Ubuntu, de tanto ouvir falar no Debian que ele é isso aquilo, assado e cozido, resolvi  experimentar, primeiro o Debian em português é uma fraude, apenas algumas telas são realmente em português, enquanto os programas como navegador e a suite de escritórios LibreOffice/OpenOffice, tem menus totalmente em inglês e várias outras aplicações estão também em inglês e não há um suporte a idiomas, o que dá pra fazer é instalar o localepurge [ apt-get install localepurge ] e escolher o pt_BR e também instalar o aspell e myspell pt-br, mesmo assim alguns programas vão ficar em inglês mesmo, se por um lado a a vantagem de ser uma distribuição rolling-release (você nunca vai precisar formatar) e ser ótima pra quem trabalha  com servidores e profissionais de informática, deixa muito a desejar de um usuário doméstico, sério a impressão que tive foi de um sistema primitivo, que ainda falta muita coisa pra conquistar o uso doméstico e acho que é por isso mesmo que é tão cultuado por pessoas da comunidade linux.

Eu fico por aqui, usando meu ubuntu 10.10, sem unity mas com a dock que prefiro no lado esquerdo da tela, sem ícones na área de trabalho, todos ficam na minha barra secundária, sem o banshee, mas com meus player favoritos, e certo que, se desagradei uma massa de usuários linux, lembro que meus compromissos são com a verdade e minhas opiniões são de usuário doméstico de linux que sou, não sou profissional, não tenho interesse em ser, aqui meu compromisso é com aqueles que usam linux por que querem e não por que tem que usar, como ferramenta de trabalho,
um abraço a todos e uma boa semana.


7 comentários:

Pois é, eu também sou usuário doméstico, tenho apenas 1 ano e meio de linux (ubuntu), estou com um pé atraz (digo, os dois) desde que apareceu essa história de unity e quase todos falando mal, sem falar que agora temos ícones em todo canto, fala sério, minha área de trabalho é a coisa mais linda do mundo e não tem um único ícone sequer.
Até comecei a baixar o 11.04, mas por via das dúvidas vou ficar com meu 10.10 macbuntu ou pelo menos vou tentar, já que a curiosidade é bem grande.
Vamos aguardar...

Eu uso o Debian no desktop e estou com todos os meus programas em português.

Danilo e a forma de fazer isso eu creio que seja secreta não é mesmo? Afinal vc só disse que consegue mas os outros não merecem saber como, não é mesmo?

Se você instalar o Debian conectado à internet, assim que terminar todos os programas estarão em português, inclusive com o BROffice instalado.
Se instalar sem nenhuma conexão, é só instalar os pacotes de tradução: ex: iceweasel-l10n-pt-br (para traduzir o Iceweasel) e broffice.org (para traduzir o OpenOffice / LibreOffice. Quanto aos outros programas, não precisei fazer nada para deixá-los em português.
No Debian não existe o "Suporte a Idiomas", o que na minha opinião é o que mais faz falta, mas posso usar o comando "dpkg-reconfigure locales" para instalar outros idiomas além do português que já foi instalado.
Com relação ao Debian ser feio, não é culpa do Debian e sim do Gnome, pois o Debian usa o Gnome padrão, aí cabe ao usuário personalizar (eu por exemplo estou usando o tema Bluebird do Xubuntu 10.10 com os ícones Faenza e ficou muito bonito).

Danilo eu instalei o debian conectado, como sempre faço, e para minha surpresa, todos os programas instalados permaneceram em inglês, eu traduzi manualmente o Iceweasel e o LibreOffice/OpenOffice, mas mesmo instalando o localepurge, a informação do sistema me dava o inglês como língua padrão, coisa que não aconteceu com nenhuma das outras distribuições que instalei, quanto ao Debian ser feio, eu sei instalar temas e perfumarias, o Ubuntu também usa o Gnome porém mesmo tendo uma cor padrão de gosto duvidoso é muito mais bonito que o Gnome do Debian, que parece imitar o win 98

João, se ainda estiver com o Debian instalado, tente executar o comando "dpkg-reconfigure locales" como root e ative o português.
Depois reinicie o Debian e na janela de login escolha o idioma Português para iniciar a sessão.

por isso nao uso gnome, KDE is the LAW!

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More